PUBLICIDADE

A história do iPhone

Conheça a evolução do smartphone revolucionário

10 anos de iPhone

O aparelho que mudou toda a indústria
e pavimentou a revolução dos smartphones

arraste para conhecer essa história

2007

iPhone

Revolucionário



Lançado em 2007, o primeiro iPhone trazia uma experiência de uso sem igual.

A tecnologia da tela sensível a toques, capacitiva, foi feita para ser usada com os dedos.

Até então, os poucos celulares touchscreen tinham telas resistivas, que respondiam à pressão e precisavam ser usadas com uma caneta. Com ícones e botões grandes, e usando o movimento de pinça com os dedos para navegação e mapas, o iPhone estabeleceu uma dinâmica de funcionamento que mudou toda a indústria e pavimentou a revolução dos smartphones, o dispositivo de acesso à Internet e comunicação mais popular da história.

2008

iPhone 3G

3G e App Store



O primeiro iPhone só se conectava às redes móveis 2G, lentas mesmo para a época.

O modelo seguinte trouxe o 3G e uma atualização no sistema operacional, então chamado iPhoneOS, permitiu que se instalasse apps nativos — até então, a Apple promovia “web apps”, sites feitos especialmente para funcionarem no iPhone.

2009

iPhone 3Gs

“S” de velocidade (“speed”, em inglês)



O iPhone 3GS era visualmente idêntico ao 3G, mas apresentou melhorias internas significativas e estabeleceu o cronograma biatual de atualizações do modelo, que vigiu até o iPhone 7: em um ano a Apple atualizava a carcaça do iPhone; no seguinte, mantinha ela e mexia só nos componentes internos do aparelho.

2010

iPhone 4

O iPhone que teve seu protótipo achado em um bar



O iPhone 4 vazou antes do lançamento, graças a um protótipo achado em um bar. Mesmo assim, foi talvez o iPhone mais surpreendente da história. A tela Retina, com tantos pixels que eles se tornam individualmente indistinguíveis para olhos humanos, estabeleceu um novo padrão na indústria.

A outra ruptura foi no visual, fruto da utilização de materiais nobres na construação do aparelho.

Com uma estética inspirada na escola de design Bauhaus, a Apple passou a usar metal e vidro no acabamento do iPhone.

2011

iPhone 4s

Hey Siri, conte-me uma piada



A grande novidade do iPhone 4s foi a introdução da Siri, a assistente virtual da Apple. Muito antes da inteligência artificial, aprendizagem de máquina e big data se tornarem buzzwords na tecnologia, a Siri apareceu com a promessa de auxiliar o usuário nas tarefas do dia a dia.

Há quem diga que, até hoje, ela não é exatamente capaz disso, mas parece consenso na indústria que há um caminho promissor — Google, Amazon e Microsoft têm, atualmente, assistentes similares à Siri.

2012

iPhone 5

Mais fino, mais leve, maior e com um conector do futuro



O iPhone 5 trouxe a primeira mudança no tamanho da tela do iPhone: das 3,5 polegadas dos modelos anteriores, aqui ela cresceu (para cima), chegando a 4 polegadas.

As melhorias estéticas e ergonômicas foram possíveis com a troca do jurássico conector de 30 pinos, herança do iPod.

Em seu lugar a Apple colocou o conector Lightning, menor, mais fino e sem “lado errado”. O restante da indústria só alcançaria a Apple quatro anos depois, com o USB-C, hoje padrão.

2013

iPhone 5s

Biometria para as massas e um chip dedicado a movimentos



Em vez de senhas numéricas, apenas a impressão digital.

O iPhone 5s trouxe o TouchID, um sensor biométrico que desbloqueia o celular, libera compras de apps e conteúdo multimídia e, posteriormente, foi liberado para proteger o acesso a apps específicos.

Ele também tinha um chip dedicado à captura de movimentos do usuário, o M7, o que impulsionou uma nova leva de apps fitness na App Store.

2014

iPhone 6

Não um, mas dois — e maiores



Os concorrentes haviam crescido e os consumidores desejavam smartphones maiores. Mesmo tendo dito, anos antes, que telas pequenas eram melhores, a Apple acompanhou a movimentação do mercado: aumentou o iPhone e o lançou em dois tamanhos. O iPhone 6 tinha tela de 4,7 polegadas e o modelo Plus, de 5,5.

2015

iPhone 6s

Aperte mais forte para ativar o 3D Touch



O 3D Touch foi a tecnologia carro-chefe do iPhone 6s: agora, a tela era capaz de interpretar a força aplicada dos toques, o que abriu um novo leque de interações possíveis.

O iOS 10, lançado um ano mais tarde, expandiu o uso do 3D Touch para ícones, menus e notificações, e mesmo não sendo algo com tanto apelo, a variedade de comandos e ações possíveis oferece versatilidade no uso do aparelho.

2016

iPhone 7

Adeus, conector de fones de ouvido



Rumores davam conta de que o iPhone 7 perderia o conector analógico de 3,5 mm, aquele padrão para fones de ouvido. Foi o que aconteceu, para desgosto de muitos. Concorrentes como o Moto Z, da Motorola, e o Essential Phone seguiram o mesmo caminho.

O iPhone 7 também ganhou resistência à água e a variante Plus, uma segunda câmera principal, útil para dar zoom sem perda de qualidade e criar retratos com desfoque do segundo plano.

2017

iPhone 8

Olá, câmera dupla



Apesar de ser apenas uma versão repaginada do iPhone 7, o iPhone 8 trouxe uma grande novidade: câmera dupla. A versão Plus, que tem tela de 5,5 polegadas, tem câmera traseira com 12 MP e lentes grande‑angular e teleobjetiva.

Segundo a própria Apple, é a câmera com "melhor sistema de captura de vídeo entre todos os smartphones”. O iPhone 8 também deu adeus de vez aos fios e trouxe um sistema de carregamento sem fio integrado na parte traseira do celular.

2017

iPhone X

Mostre a sua cara



O iPhone X foi o grande lançamento da Apple em 2017. A nova linha, em comemoração aos dez anos do aparelho, eliminou o botão de home, deixou a tela maior e quase bem borda e trouxe também câmera dupla.

Mas a grande novidade ficou mesmo para o sistema de reconhecimento facial, chamado de Face ID: basta você mostrar o seu rosto para o aparelho que ele destrava sozinho. O Face ID usa a câmera TrueDepth para configurar o rosto. Ela é capaz de captar mais de 30 mil pontos da sua face.

Fonte: Redação. Infografia: Gazeta do Povo.