PUBLICIDADE

Como cuidar de um aquário

Ter um aquário significa manter um pequeno ecossistema em equilíbrio garantindo a saúde de peixes e plantas, veja dicas de como cuidar e mantê-lo sempre saudável

Limpeza do Aquário

Clique nos pontos para ver dicas de como limpar o seu aquário


LIMPEZA DO AQUÁRIO

Faça testes

Teste o PH e demais parâmetros da água, como amônia, nitritos e nitratos (utilizar reagentes próprios em amostras de água).  

Limpe o vidro

Limpe o vidro por dentro, utilizando acessórios específicos para tal, como esponjas não abrasivas com cabo e limpadores magnéticos (não utilizar equipamentos de uso doméstico, que podem contaminar a água com bactérias).

Troque a água

Proceda com a Troca Parcial da Água (TPA), a maior responsável pelo sucesso de um aquário.

O volume a ser retirado deve corresponder a 20 ou 30% do volume total e isso pode ser feito com um balde ou sifão específico, que também ajuda a remover a sujeira presa no cascalho.

Retorne a água

Retorne ao aquário o mesmo volume de água retirado.

Essa água deve ser da torneira, com aplicação de condicionantes para remover o cloro antes de ir para o aquário e com temperatura e pH próximos à da água na qual ficaram os peixes.

A quantidade de condicionante utilizada deve seguir rigorosamente a indicação do fabricante no frasco. Se necessário, corrigir o pH da água de reposição com um corretivo de uso específico para aquários.

Faça a manutenção do filtro

Realize uma nova conferência do PH e proceda com a manutenção (ou troca dos refis) dos três elementos filtrantes do filtro externo:

mecânico (com lã sintética ou esponja, responsáveis pela retenção de detritos)

químico (com carvão ativado, que absorve elementos tóxicos do aquário e evita que a água adquira uma coloração amarelada)

biológico (com materiais porosos especiais que abrigam bactérias benéficas e responsáveis por converter substâncias tóxicas - como amônia e nitritos - em substâncias menos tóxicas, que são removidas na TPA. Este é o tipo de filtragem mais importante).

O QUE PRECISA

Você vai precisar de:

  • Equipamentos adequados, encontrados em casas especializadas
  • Manutenção correta e frequente
  • Basicamente, testes de pH, amônia e nitrito (para verificar se o filtro biológico está funcionando corretamente). Em casos especiais, teste de dureza, que mede a quantidade de sais dissolvidos na água

Você não vai precisar de:

  • Trocas totais de água
  • Lavagens do aquário
  • Medicamentos preventivos (apenas quando necessário, pois prejudicam o equilíbrio biológico do meio)

EQUIPAMENTOS

Filtragem

Há diversos tipos de filtros externos, mas os elementos filtrantes e a função deles sempre são as mesmas.

Normalmente, são compostos por três tipos de elementos filtrantes:

  • mecânico com lã sintética ou esponja, responsáveis pela retenção de detritos.
  • químico com carvão ativado ou resinas especiais, que absorvem elementos tóxicos do aquário e evitam que a água adquira uma coloração amarelada.
  • biológico com materiais porosos especiais que abrigam bactérias benéficas que convertem substâncias tóxicas como amônia e nitritos em substâncias menos tóxicas que são removidas na TPA, sendo o tipo de filtragem mais importante.

A necessidade de manutenção é:

Mecânica: pode ser lavada e reutilizada, mas deve ser trocada assim que a mídia estiver saturada ou danificada demais.

Química: substituída a cada 1 - 2 meses, seguindo sempre as indicações do fabricante.

Biológica - Se estiver com muitos detritos, apenas enxague levemente na água do próprio aquário. Jamais lave com produtos químicos ou água clorada, pois isso pode causar a morte da colônia de bactérias benéficas.

teste de pH

Teste que usa uma escala de cores para indicar o pH da água.

A escala de pH vai de 0 a 12, sendo que 0 é o mais ácido e 12 é o mais alcalino. A faixa que interessa para o aquarismo é de 5 a 10.

Verdade - O pH desejado para o aquário depende das espécies de animais mantidos, pesquise as necessidades dos seus peixes e invertebrados e evite misturar espécies de habitats muito diferentes.

Mito - pH neutro (7.0) não é a faixa “mágica” para manter qualquer espécie de peixe de água doce, respeite a faixa de pH do habitat natural das espécies. Por exemplo, peixes de alguns rios amazônicos gostam de água ácida (pH 5.0-6.8) e peixes de alguns lagos africanos gostam de pH muito alcalino (pH 8.0-10.0).

Testes de GH e KH (dureza geral e dureza carbonatada)

Testes que usam uma escala de 2 cores para indicar a dureza (quantidade de sais dissolvidos) da água.

Conta-se a quantidade de gotas de reagente até que a cor da água mude.

As durezas desejadas para o aquário dependem das espécies de peixes mantidas. Pesquise as necessidades dos seus peixes e evite misturar espécies de habitats muito diferentes.

Testes de Amônia e Nitritos

Testes que usam uma escala de intensidade de cor para indicar a presença e concentração de amônia ou nitritos na água.

Podem ser usados um ou mais reagentes.

Amônia e nitritos são substâncias tóxicas para os peixes e invertebrados, em um aquário maturado e equilibrado os valores dessas substâncias não devem ser mais do que 0.

Em aquários em processo de ciclagem (maturação e formação da colônia de bactérias benéficas) é normal que os valores aumentem para depois se reduzirem gradativamente. Por causa disso, não coloque animais nos primeiros 30 dias de um aquário! (Com exceção de aquários ciclados com produtos que aceleram o processo)

Tampões ou Buffers

São produtos que equilibram o pH da água, acidificando ou alcalinizando, de acordo com as necessidades dos peixes mantidos. A maior vantagem dos buffers sobre alcalinizantes e acidificantes simples é que estes tornam o ph mais estável.

Anti-cloro

Produto que remove o cloro da água. Dependendo da marca, também pode neutralizar metais pesados.

Termômetro

Tenha, pelo menos, dois termômetros: um para constatar a temperatura da água do aquário e outro para constatar a temperatura da água de reposição. As duas devem estar com pouca diferença para que os peixes não sofram choque térmico.

Limpador magnético e esponja

Equipamentos básicos para limpeza dos vidros. É normal haver acúmulo de algas nos vidros, mas o excesso delas no aquário pode indicar desequilíbrio.

Recipiente e mangueira

Uma mangueira ou sifão, encontrados em lojas especializadas, podem ser utilizados para sifonar a água e a sujeira acumulada na superfície do cascalho.

Um balde pode ser usado para coletar a água velha. Para fazer a reposição é importante que seja utilizado um balde ou garrafão exclusivo, para que não haja contaminação da água nova.

Ajuste o pH, dureza e temperatura da água no recipiente de reposição para que se equipare aos parâmetros da água que já está no aquário, evitando choques nos animais.

DICAS

Aquários vão muito além de objetos decorativos. Eles demandam envolvimento, sabedoria e rotina.

Aquários mais limpos representam ambientes mais estáveis. Quando bem mantido, comporta peixes mais saudáveis e representa economia para o proprietário.

A recomendação é nunca retirar toda a água, nem os elementos para lavagens individuais. Um aquário leva, em média, meio ano para que atinja uma maturidade plena. Se houver retirada total da água ou elementos, haverá perda total do equilíbrio. Um bom filtro externo, acompanhado de sifonagem periódica e trocas parciais, é o que basta.

Um aquário bem cuidado, que segue a cartilha padrão de manutenção, em pouco tempo estará apto para receber peixes mais sensíveis ou mais caros.

Limpar os filtros em água corrente, uma vez na semana, também é indicado. O elemento filtrante biológico deve ser lavado com a água do próprio aquário, para não eliminar bactérias benéficas.

Fonte: Sérgio Gomes, aquarista e escritor e Mário Farias Junior. Infografia: Chantal Wagner/Gazeta do Povo.